Zeca Afonso e Adriano

 

São dois músicos que marcaram mais de uma geração, no meio delas seguramente a minha.
Corajosos opositores da ditadura, foram durante anos a voz dos silenciados e dos injustiçados.
Era norma em qualquer ocasião que se proporcionasse, que alguém cantasse e tocasse as suas músicas e poemas.
Habituei-me a cantar em grupo muitas das suas canções - Vampiros, Menino do Bairro Negro, O soldadinho não volta, Canção com Lágrimas, entre tantas outras.
Nos anos oitenta tornei-me amigo do Adriano, andava bastante com ele nos últimos tempos.
Muitas vezes toquei e cantei a "Canção de Embalar" ao meu filhote; perante aqueles olhinhos curiosos eu desfiava a canção do Zeca baixinho, para o miúdo criar sono, era uma mordomia que ele tinha e via-se que adorava.
Hoje é raro ouvir-se na rádio a música de um e outro, o que é incompreensível - ambos têm temas musicais de grande riqueza que vale muito a pena ouvir, ambos são Homens que estiveram muito à frente do seu tempo, talvez por isso a sociedade com a mesquinhês misturada de ignorância que a caracteriza muitas vezes os ignora, pois não costuma perdoar a quem teve razão antes de tempo.
Aqui está uma pequena homenagem que construí para o Adriano.
Talvez um dia, com calma e inspiração, consiga fazer mais qualquer coisa com a música de José Afonso e de Adriano Correia de Oliveira.

Voltar